Apoio ao Doente

Correio do sócio da LPCDR

Carta“Com os meus muito sinceros agradecimentos pelo vosso cartãozinho de parabéns pelo meu aniversário de 83 anos, no dia 18 de Outubro de 2014, venho por este meio agradecer a toda a equipa da LPCDR com muito carinho, que consiga realizar com o vosso apoio e carinho para todos os que vos procuram na esperança do que a Liga lhes possa ajudar.
Um grande abraço e agradecimento para todos os que fazem parte da Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas, aproveitando para desejar a todos um FELIZ NATAL!”

Arlete Ribeiro Lince (25-10-2014)

 

“À Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas
Obrigada pelo envio do postal de parabéns.
Mais um ano mais uma roda da Vida.
Temos que ser Solidários, ter Amigos e sermos Felizes.
Desejo-lhes tudo de bom e continuem a ajudar o Próximo.
Festas Felizes para todos os Doentes e Amigos da Liga.
Um Abraço Amigo.”

Maria da Conceição Pestana Deusdado (20-11-2014)


Testemunho do filho de uma doente reumática - Chamo-me José Carlos Rebelo e sou filho de uma portadora de Esclerodermia (Maria Olinda Oliveira Chaves), uma lutadora que há mais de 15 anos se debate com esta doença auto-imune e de que ainda se dispõe de pouca informação.
Maria Olinda ChavesHá cerca de 5 anos, encontrámos apoio na Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas. Este apoio foi muito importante do ponto de vista da informação sobre a doença mas muito mais importante no acompanhamento que as pessoas que formam a Liga têm dado à minha mãe, nomeadamente a Dona Diamantina que muitas vezes liga (telefone) à minha mãe e lhe traz um conforto que só quem lida com ela se apercebe, por isto fica publicamente o meu obrigado.
Um ditado hebraico diz que "quem salva uma vida, salva a humanidade" e só quem rodeia a Maria Olinda se apercebe do poder do uso das palavras para confortar o ser humano na dor.
Este agradecimento público vem numa altura de crise onde os governantes que actualmente gerem os destinos da nossa Nação (soberana e independente) tratam os Portugueses como números e principalmente os idosos e mais desfavorecidos, basta estar atento aos noticiários.Mãos de Maria Olinda Chaves Retiram regalias a pessoas que carregam com elas "o fardo" de uma doença Incurável cujo próprio corpo se ataca a si próprio. Como há-de um ser humano nestas condições defender-se? Pergunta muito difícil, não é verdade? Desconhecem de certeza as baterias de exames e tratamentos super agressivos que estes doentes, e neste caso, paciente que trabalhou uma vida inteira e que quando foi reformada por invalidez, saiu da sala dos médicos que lhe passaram a invalidez, lavada em lágrimas porque os médicos lhe diziam que ela poderia não aguentar o trabalho. Como explicar que são tratados como números depois de uma vida a trabalhar e a contribuir para uma sociedade, sendo que muitos dos governantes ainda não eram vivos nessa altura.
Bem.... é este o relato de um filho que por razões profissionais não consegue estar todos os dias ao lado de uma mãe que, ainda hoje daria a vida por mim....é isto que gostava de partilhar publicamente e para todos os que lêem e ainda se preocupam com os Portugueses e Portugal. Obrigado,

José Carlos Rebelo
Março de 2014


rosario

Testemunho de alento no apoio ao doente - Numa visita à sócia e doente Rosário Rebelo, relatou-nos que um dos momentos que mais a marcaram aquando do seu último internamento foi: ”após 27 dias só comendo gelatina, ter conseguido comer uns bocadinhos de pão com manteiga e bebido um iogurte líquido, dados pela mão duma voluntária da LPCDR acompanhados de uma conversa e muita força para não desistir”. Nunca esquecerá, realçou ainda, que o nosso apoio e acompanhamento continuado, a têm ajudado muito.

Os benefícios que tem sentido são: sentir-se mais confiante e segura de si própria, assim como ter alguma proteção de retaguarda e incentivo para mudar a sua atitude no modo como gerir a sua doença.

Adianta ainda que acha que deveríamos ter mais voluntárias neste tipo de apoio, o qual é muito importante para o doente. O grupo de apoio ao doente agradece o seu testemunho, pois estimula-nos ainda mais a continuar em frente.

Diamantina Rodrigues (Tesoureira da LPCDR)
Novembro de 2013


Agradecimento… - O apoio ao doente reumático da LPCDR está activo e bem vivo, pois os contactos telefónicos ou presenciais fazem-se ao ritmo possível, pois quanto mais voluntárias/os da LPCDR integrarem este grupo, maior será a quantidade e a frequência dos contactos efectuados, pois estou consciente de que os doentes esperam e gostam desta forma de estarem ligados à nossa LPCDR. Como poderão ler na transcrição integral do agradecimento duma nossa sócia e doente.

Maria Diamantina Rodrigues (tesoureira da LPCDR)

ligia“A nossa vida é um puzzle, cujas peças podem ter diferentes significados para cada pessoa. Para mim, neste momento representam as várias etapas da minha vida, as boas e as menos boas.

Neste momento, estou a atravessar a fase melhor de uma das etapas menos boas, mas que com o apoio da família, dos amigos e da LIGA estou a conseguir superá-la muito bem.

Assim sendo, gostaria de agradecer à LIGA todo o apoio que me proporcionou e continua a proporcionar, e bem-haja pela sua existência. Agradeço igualmente o papel ativo da Diamantina, na qualidade de minha “motorista particular” e amiga, como também todo o carinho e amizade demonstrado pela Glória, Leonor, Iria, Profª Margarida e Ana.

Beijinhos, Lígia Jesus"
Agosto de 2013


visita-ovarVisita presencial

Um exemplo do nosso apoio. Visita a uma doente associada, residente em Ovar (Maio de 2013).

Caso necessite, contacte-nos.
Voluntariado: telemóveis 925609940 / 925609919
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 


Cimeira do Doente 2012 - No âmbito da participação da LPCDR na Cimeira do Doente 2012, organizada pelo laboratório Abbott, a LPCDR apresentou um poster relativo ao projecto do “Apoio ao Doente 2012”, em parceria com a ESEL.

pdf icon smallVeja aqui o POSTER.